terça-feira, junho 13, 2006

# LXIV - No dia de Sto António, de Pessoa, de ...




Gato que brincas na rua

Gato que brincas na rua
Como se fosse na cama,
Invejo a sorte que é tua
Porque nem sorte se chama.

Bom servo das leis fatais
Que regem pedras e gentes,
Que tens instintos gerais
E sentes só o que sentes.

És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.

Fernando Pessoa, 1-1931




(A Arte de João Villaret - Gato que Brincas na Rua)

3 comentários:

zef disse...

Encontrei esta tradução do poema:

Feles qui ludis in via
velut si in lectulo stratus,
hanc tibi sortem invideo
quia nempe nec sors vocatur.

Fatalium bonus es servus
saxa regentium et gentes,
communia instincta qui sequeris
et solum sentis quod sentis.

Eo felix quod es ita.
Nil quod es est omne tecum.
Video me, et absque vivo.
Me cognosco et non sum ego.



Tradução de Silva Belkior

TsiWari disse...

Zef, benvindo/a e obrigado.

zef disse...

Já é um bocado tarde, mas crescento que aquela tradução encontrei-a em:
http://arcadajade.blogs.sapo.pt/