domingo, fevereiro 01, 2009

# CCLXXXIV - Che mi manca!

.
.
.


[Dias e almas cinzentas - nostalgias presentes! - Douro, Março 2007]




Em dias de chuva, carregados de cinzentos, o sofã e o comando atraem mais que o costume. Já não te satisfazem o zapping nem os livros em que desfilam as vidas d'outrém enquanto sentes a tua (que, reconhece, acaba por ser uma espécie de vida) suspensa num interregno claustrofóbico.
A colecção de filmes por ver vai aumentando pois regressas ao mesmo de sempre. Já sabes de cor as falas, os gestos, as pausas... a altura em que te escorre a primeira lágrima. Solta-se sempre naquela cena. Quanto ao momento de parar, esse é que varia.
E regressas à música. A que toca, há já alguns dias, em mode repeat no leitor do teu carro. A voz é melodiosa. A língua bellissima - sempre gostaste do italiano, essa é que é a verdade.
Coisas que não explicas. Que simplesmente sentes. E é assim que deve ser - digo-to eu.


[P.S. - Olha que a versão em dueto com a Laura Pausini também não "vai" nada mal...]


Non Me Lo So Spiegare
Tiziano Ferro


Un po' mi manca l'aria che tirava
O semplicemente la tua bianca schiena..nananana
E quell'orologio non girava
Stava fermo sempre da mattina a sera.
come me lui ti fissava
Io non piango mai per te
Non farò niente di simile...nononono
Si, lo ammetto, un po' ti penso
Ma mi scanso
Non mi tocchi più

Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande,
mi ricordi che rivivo in tante cose...nananana
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare
E se hai voglia, di lasciarti camminare
Scusa, sai, non ti vorrei mai disturbare
Ma vuoi dirmi come questo può finire?
Non melo so spiegare
Io no me lo so spiegare

La notte fonda e la luna piena
Ci offrivano da dono solo l'atmosfera
Ma l'amavo e l'amo ancora
Ogni dettaglio è aria che mi manca
E se sto così..sarà la primavera..
Ma non regge più la scusa...

Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande,
mi ricordi che rivivo in tante cose...nananana
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare..
Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande,
mi ricordi che rivivo in tante cose...nananana
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare
E se hai voglia, di lasciarti camminare
Scusa, sai, non ti vorrei mai disturbare
Ma vuoi dirmi come questo può finire?






5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Também gosto muito de italiano e até o escolhi como opção no final do curso, há relativamente pouco tempo fui fazer mais uma actualização, mas a falta de treino leva-me a não ser capaz de dizer quase nada.
Tenho pena de não poder ouvir a música...

Abraço

tsiwari disse...

;))) pelo italiano!!

;(((( por não ouvires! O que se passa, para tal acontecer? Deve ser um problema de necessidade de actualizar o Quick Player (versão 7.6 - faz o download disso e instala que logo ouvirás a canção. E vale a pena...).

Bjo

IC disse...

Tens um prémio no meu cantinho.
Afectos... Pedagogia... :)
*****

olhardomiguel disse...

Bingo... tens dois prémios ;))

Rosa dos Ventos disse...

Obrigada pelas instruções!
Além de cota, sou tótó!
Consegui ouvir e gostei...

Abraço