domingo, janeiro 21, 2007

# CLXXXIII - Divas - Dezassete - Martírio


(Os jacintos já espreitam à janela da cozinha)

Há músicas assim. Simples. Belíssimas...
Esta fala-nos de almas. De almas gémeas. Há quem as procure a vida inteira.
Há também quem tenha a sorte de ter encontrado a sua alma gémea.
Há quem viva com ela.
Há ainda quem, ao ouvir esta canção, se sinta pertinho da sua alma gémea.

---<@

Alma mía ( María Greever) - Interpretação de Martírio

Alma mía sola, siempre sola,
sin que nadie comprenda tu sufrimiento,
tu horrible padecer;
fingiendo una existencia
siempre llena de dicha y de placer,
de dicha y de placer...

Si yo encontrara un alma como la mía,
cuantas cosas secretas le contaría,
un alma que al mirarme
sin decir nada
me lo dijera todo con su mirada.
Un alma que embriagase
con suave aliento,
que al besarme sintiera lo que yo siento,
y a veces me pregunto que pasaría
si yo encontrara un alma como la mía







4 comentários:

IC disse...

Canção muito bonita, gostei de ouvir - obrigada :)
***

bell disse...

Muito mimoso o jacinto!

Eu sou daquelas que ainda não encontrou a alma gémea e que já duvida que exista.

TsiWari disse...

ic : tamném gosto muito desta canção!
Volta sempre.

bell : não sejas céptica... não te feches...


*****

Anónimo disse...

Hi boss:)
Música bonita:) Aos poucos vou explorando:)
Bom gosto
Your employee:)