sábado, novembro 07, 2009

# CCCXXXI - Romaria


[Ofertar olhares, Abril'09]


Das memórias ligadas a canções (e tantas!) destaca-se a que envolve a minha mãe a comentar, em frente à televisão, o quanto gostava da Elis a cantar Romaria. Como era raro ouvir a mãe pronunciar-se sobre canções, guardei a referência. Gostei, de imediato, da canção. Traduz na perfeição a ideia que tenho de entrega total, de despojo por inteiro, de impotência,..., da importância de um olhar.

Passaram anos até conhecer o reportório da Elis Regina e aprender a apreciar a Pimentinha (nome caloroso pelo qual é conhecida por muitos). Ainda continuo a acreditar que para se usufruir verdadeiramente do que a Elis fazia é preciso ter-se (passe a presunção de tal afirmação!) alguma maturidade - alguma experiência feita pela vida.

Romaria popularizou-se (graças sobretudo à Elis) e extravasou fronteiras.

Recordo a melhor de todas as versões, a da Elis Regina, trago uma em espanhol (por Liliana Herrero) e ainda outra num colectivo sertanejo, com aquele arrastar caraterístico destes cantores.

Poderia trazer a versão do autor do tema, Renato Teixeira. Ou a voz soberba da Maria Bethânia, cantando o Romaria. Ou, uma mais recente, por exemplo pela Julia Zenko ou mesmo a versão dos argentinos Fadeiros. Quem sabe, noutra altura...


Romaria (Renato Teixeira)


É de sonho e de pó
O destino de um só
Feito eu perdido
Em pensamentos
Sobre o meu cavalo

É de laço e de nó
De jibeira o jiló
Dessa vida
Cumprida a só

Sou caipira, pirapora
Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida (2x)

O meu pai foi peão
Minha mãe solidão
Meus irmãos
Perderam-se na vida
À custa de aventuras

Descasei, joguei
Investi, desisti
Se há sorte
Eu não sei, nunca vi

Sou caipira, Pirapora
Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida (2x)

Me disseram, porém
Que eu viesse aqui
Prá pedir de
Romaria e prece
Paz nos desaventos

Como eu não sei rezar
Só queria mostrar
Meu olhar, meu olhar
Meu olhar

Sou caipira, pirapora
Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida (2x)



















13 comentários:

wandering disse...

Olá

Regressei à adolescência, altura em que adorava cantar esta música, apesar da falta de maturidade.
E face à impotência vamos-nos perdendo em pensamentos.
BFS

tsiwari disse...

wandering : foi bom provocar essa viagem. Imagino o sorriso nos olhos...

bfs e bjo ;)

deep disse...

Não me lembro quando conheci esta canção. Tenho a sensação que é desde sempre e, desde que a conheço, que a adoro. :)

Bom fim-de-semana. :)***

Rosa dos Ventos disse...

Como sou bem mais velha do que tu tive o privilégio de assistir ao vivo, passe a redundância, à actuação da Elis num longíquo festival em Montreux, estava então de férias na Suiça!
E ela cantou "Romaria"...
Que emoção!

Abraço

tsiwari disse...

deep : aquele "como eu não sei rezar / só queria mostrar meu olhar" quase que me converte!

:)****

tsiwari disse...

Rosa dos Ventos : há uma gravação - fabulosa - dessa actuação da Elis em Montreux. Tens?


Fico com um ataque de imbejidade....

;)*

Matilde Rebelo disse...

É...


linda!
Obrigada por toda esta colectânea de doces romarias.

:)
beijinhos, tsiwari.

tsiwari disse...

Olá, Matilde!

Não tens que agradecer.... entra quando te apetecer. Serás sempre bem vinda.

:)***

Nenúfar Cor-de-Rosa disse...

Que maravilha...há quanto tempo não ouvia esta música, mas está sempre presente, porque volto e meia me lembro dela e começo a cantarolar! Obrigada pela partilha! Bjs.

tsiwari disse...

Nenúfar Cor-de-Rosa : volta e meia, sabe bem regressarmos às canções onde fomos felizes. Concordo!


Bjo e passa mais vezes para ir sabendo de ti.

:)***

Rosa dos Ventos disse...

Claro que tenho!
Todos os amigos, dos mais novos aos mais velhos têm "inbeja" de mim! :-))

Abraço

Alecrim disse...

Que bom, hoje vou deitar-me com uma canção que adoro!
Um beijo, Tsiwari.

tsiwari disse...

Alecrim : que tenha embalado o teu sono!

:)***