segunda-feira, novembro 19, 2007

# CCXXIII - Desejos vãos...

.
.
.



(No Douro, entardecia...)




"Mas o mar também chora de tristeza!
As árvores também, como quem reza,
erguem aos céus os braços como um crente..."
.
.
(Florbela Espanca)
.
.
.


(Mariza)

7 comentários:

Girafa cor de rosa disse...

um pouquito triste, não? Tem a sua beleza, sim, mas há que arribar e tristezas não pagam dívidas! A foto tb é bela...mas tb transparece tristeza! Sorrisos felizes é o que eu te desejo para esta semana!

Rosa dos Ventos disse...

Gosto de ouvir a Mariza e de ler a Florbela.
Obrigada por me teres proporcionado essa união com um pôr do sol maravilhoso!

Abraço

Raquel Alves disse...

Gosto da Florbela, mulher sofrida e cheia de duvidas...alma de poetisa.
Não gosto de Fado mas, a Mariza conseguiu cativar-me...voz fantástica...mulher humilde.

TsiWari disse...

girafa cor de rosa : sorrisos, sempre. felizes, quase sempre. melancolias, às vezes...***

rosa dos ventos : há casamentos felizes. estes maridam muito bem. ***

raquel : ainda espero o nosso café. e gostarias de fado, sim... tens é que o cenhecer, que te entregar... ***

deep disse...

A Mariza é uma senhora do Fado e parece sê-lo também na vida!

A melancólica, mas não menos valiosa, Florbela!

Ora, quanto ao Douro... só me ocorrem as viagens de comboio que, em tempos, fazia com regularidade, do Pocinho a S. Bento... Que saudades!

Bom resto de semana. ***

Girafa cor de rosa disse...

Ora viva! É só para te dizer q te deixei um desafio no meu cantinho, alinha se quiseres e te apetecer! Fica bem!

TsiWari disse...

deep : pouca terra, pouca terra... e paisagens... pois, entendo as recordaçõese as saudades! ***

Girafa cor de rosa : obrigado. Terei em conta a simpática distinção. ***