domingo, agosto 26, 2007

# CCXV - Um amor e uma cabana


(Figueira da Foz, Agosto de 2007)


O ideal de um amor e uma cabana abandona-nos quando a vida nos dá a conhecer todos os seus lados. Mas este sentimento faz parte da história de muitos de nós.

Esta introdução vem a propósito da canção deste post (Sem vintém) que faz parte do mais recente álbum do grupo Ala dos Namorados, cuja carreira acompanho atentamente desde que apareceram em 1994. Neste trabalho, Mentiroso Normal, Nuno Guerreiro apresenta-se com uma maturidade vocal irrepreensível. Ora apreciem...

--<@


SEM VINTÉM

Eu sei que o meu amor não tem vintém
Depois, o que é que tem, o que é que tem?
Eu sei que a sua vida é um vai-vem
Depois, o que é que tem, o que é que tem?
Mas eu que sei o quanto me quer bem
Vou contar tudo o que meu amor tem:

Tem gemas no olhar
E açúcar no falar
Gotinhas de limão à flor da pele
Faz bolo de amassar
Trouxinha de enrolar
Ninguém me adoça tanto como ele

Eu sei que o meu amor não tem vintém
Depois, o que é que tem, o que é que tem?
Eu sei que toda a terra é sua mãe
Herdou todo o amor que a terra tem.
E eu que sei mais dele que ninguém
Vou contar tudo o que meu amor tem:

Tem mãos de pianista
Pernas de equilibrista
E o casulo da fé no coração
Ele não tem mais nada
Mas diz que de mão dada
Os dois vamos dar volta à situação.




4 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Belo tema e bela imagem!
De facto a voz do Nuno Guerreiro adquiriu tonalidades e doçura que não tinha!
Já conhecia o tema mas gostei de o ouvir de novo...

Raquel Alves disse...

Acabei de oferecer esse álbum ao meu
companheiro...acho-o lindo. A voz do Nuno Guerreiro é das que mais aprecio, pela limpidez e pela abrangência de agudos e graves que consegue atingir.
Gostei de o apreciar de novo aqui.

Aldina Duarte disse...

Creio que temos todos muito a reflectir acerca do protagonismo dos bens materiais no mundo interior dos afectos de muitos de nós! Excelente Voz, Músicos, Letras e Melodias!

Até Sempre

Teresa Lopes disse...

Voz linda...
Quanto ao amor e uma cabana, podes crer que ainda existe. O meu e o do meu companheiro de vida (e meu marido) começou assim e ainda hoje dura. Apesar de todos os contratempos da vida, o amor soa sempre mais alto.
Passem a palavra, por favor: há alguém que ainda vive de um amor e de uma cabana.