terça-feira, outubro 09, 2007

# CCXIX - A importância de se chamar Ernesto


"Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário"
Ernesto (Che) Guevara.



Pelas 13h 10 min de hoje. 40 anos passaram desde o seu assassinato.
- Você vem aqui para matar-me. - disse Che ao sargento Mário Téran, ao ver que a sua cabeça se baixava, que os olhos do sargento fugiam ao confronto com os seus próprios olhos.
O sargento não se sentia nada bem. Quase vomitava e deixara de ver.
- Acalme-se e faça bem a pontaria. Vai matar um homem... - foram, segundo reza a história, as últimas palavras de Ernesto.
Ironia do destino. Mário Terán submeteu-se, o ano passado, em Cuba a uma operação às cataratas. Os filhos da revolução de Ernesto Guevara devolveram a vista ao seu assassino. Acho que ele teria gostado de saber...


Relembro os Diários de Motocicleta. Foi aí que fiquei a saber mais sobre este médico, Ernesto Guevara.


E, porque já todos, em alguma altura das nossas vidas, trauteámos (pelo menos) o ..."de tu querida presencia / comandante Che Guevara" fica a melodia e os versos de Carlos Puebla, cantados por Soledad Bravo:



Aprendimos a quererte / desde la histórica altura
donde el sol de tu bravura / le puso un cerco a la muerte.

Aquí se queda la clara, / la entrañable transparencia,
de tu querida presencia / Comandante Che Guevara.

Tu mano gloriosa y fuerte / sobre la historia dispara
cuando todo Santa Clara / se despierta para verte.

Aquí se queda la clara, / la entrañable transparencia,
de tu querida presencia / Comandante Che Guevara.

Vienes quemando la brisa / con soles de primavera
para plantar la bandera / con la luz de tu sonrisa.

Aquí se queda la clara, / la entrañable transparencia,
de tu querida presencia / Comandante Che Guevara.

Tu amor revolucionario / te conduce a nueva empresa
donde esperan la firmeza / de tu brazo libertario.

Aquí se queda la clara, / la entrañable transparencia,
de tu querida presencia / Comandante Che Guevara.

Seguiremos adelante / como junto a ti seguimos
y con Fidel te decimos: / hasta siempre Comandante.

Aquí se queda la clara, / la entrañable transparencia,
de tu querida presencia / Comandante Che Guevara.


5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Fico sempre emocionada quando ouço esta bela canção de homenagem ao Che,
o grande ícone do sé. XX!

Abraço

Teresa Lopes disse...

Hasta la vitoria final!

Sérgio Malheiro disse...

Eis um bom exemplo de como encarar a vida, lutar pelos seus ideais e morrer só, por uma causa que não é de todos mas sim de muitos.
Hasta la Vitoria siempre!

zef disse...

Tsiwari, tarde mas não muito(ando sempre cada vez mais devagar...), um abraço por esta lembrança e por outras também.

TsiWari disse...

Rosa dos Ventos : faz-nos cantar também, não é? ;)***

Teresa Lopes : Hasta, siempre! ***

Sérgio : Bem vindo, parceiro único de segredos escondidos. :)

zef : bem aparecido sejas. Ao ritmo que é o teu, como sabemos ser importante. Abraço.